Um guia sobre nomenclaturas LGBTQIA+ para ninguém mais se confundir

Um guia sobre nomenclaturas LGBTQIAP+ para ninguém mais se confundir

Publicado em 16/07/2021. Atualizado em 16/07/2021 2:40:35

Um guia sobre nomenclaturas LGBTQIA+ para ninguém mais se confundir

O mundo sempre foi composto por pessoas diferentes, seja nas questões relacionadas a raça, religião, ideologia, orientação sexual ou identidade de gênero. 

Muito se fala sobre o respeito, mas será que sabemos de fato lidar com a diversidade?

É justo dizer que muitas pessoas ainda não sabem falar com ou sobre pessoas trans. Então, o que os termos envolvidos significam e o que é considerado educado?  

Neste artigo, você encontrará as respostas para as dúvidas sobre a questão trans e todas as terminologias referentes à identidade de gênero. Leia até o final e descubra como se aprofundar nas questões mais complexas!  

A fim de ilustrar cada um dos termos, então, separamos personalidades públicas que defendem as determinadas bandeiras no Brasil atual. Confira!

 

O que é uma pessoa trans 

Erika Hilton é a primeira vereadora transexual em SP

Erika Hilton é a primeira vereadora transexual eleita em São Paulo. Reprodução/ Redes sociais

O termo trans é utilizado para se referir a uma pessoa que não se identifica com o gênero ao qual foi designado em seu nascimento

Quando nascemos, nossos gêneros são determinados pelo nosso sexo. Assim, se uma pessoa nasce com um pênis, é considerada homem, se nasce com uma vagina, é uma mulher. Contudo, algumas pessoas percebem que se identificam com outro gênero e passam a viver como assim desejam e se sentem melhor consigo mesmas.

Dessa forma, podemos utilizar “mulher trans” ou “pessoa transfeminina” para se referir a alguém que foi designado homem, mas se entende como uma figura feminina. Já o termo “homem trans” ou “pessoa transmasculina” é indicado para tratar uma pessoa que foi designada mulher, mas se identifica com uma imagem pessoal masculina.

Pensando no significado etimológico, o prefixo trans- (oriundo do latim) significa “além de”, “para além de”, “o outro lado” ou “o lado oposto”. Ele é utilizado como um “termo guarda-chuva” e se refere a todas as pessoas com identidades trans: transexuais, transgêneros, travestis, pessoas não-binárias, etc.

 

O que é cis/cisgênero 

 

O prefixo cis-, acrescentado à palavra “gênero”, vem do Latim e significa “do lado de cá”. Dessa forma, o termo Cis/Cisgênero é utilizado para se referir às pessoas cujo gênero é o mesmo que o designado em seu nascimento.

Ou seja, ao nascer, uma pessoa é designada homem ou mulher, de acordo com seu sexo. No entanto, se essa pessoa, ao longo da vida, se entende/se identifica com o mesmo gênero atribuído ao momento do nascimento, então ela é cisgênera.

 

O que é uma pessoa travesti 

Giovanna Heliodoro

Giovanna Heliodoro é historiadora e influenciadora digital. Nas redes sociais ela exalta a beleza travesti.

Travesti é uma pessoa que foi designada homem, no seu nascimento, mas se entende como uma figura feminina. Durante muito tempo, a palavra era considerada pejorativa ou associado à prostituição, contudo, atualmente, o conceito vem sendo ressignificado e passou a ter mais peso político. Há pessoas que afirmam com orgulho que são travestis, devido à história do termo.

Nota importante! O correto, ao se dirigir a uma pessoa travesti, é usar “A/ ela”. 

 

O que é Drag Queen/ King

Pabllo Vittar drag queen mais seguida no mundo

Pabllo Vittar é um homem gay, que também é uma drag queen

Podemos dizer que a drag queen é a pessoa que se veste e se comporta, de forma estilizada, com uma expressão de gênero exageradamente feminina. Já o drag king é a pessoa que se veste e se comporta, também de forma estilizada, com uma expressão de gênero exageradamente masculina. Por meio das performances artísticas e do humor, o objetivo é imitar, brincar, questionar e até desconstruir arquétipos dos gêneros feminino e masculino.

 

“Ele ou ela”?

 

Usar os pronomes apropriados ao falar com alguém que é transgênero funciona com base no respeito pela pessoa. Usualmente, o nome que a pessoa escolhe para usar indica sua preferência de gênero. Assim, uma pessoa transgênero chamada Miguel seria referida como “ele”, enquanto outra chamada Lua seria “ela”. Mas, se você não tiver certeza, é melhor perguntar à pessoa educadamente como ela deseja ser conhecida.

Isso é especialmente verdade, se você suspeitar que alguém se identifica como não-binário, caso em que um termo neutro pode ser mais apropriado.

 

Não-binário 

Demi Lovato

Pelas redes sociais, Demi Lovato contou aos fãs que é não-binária. Reprodução/ Revista Glamour

Pessoas não-binárias podem se reconhecer nos gêneros feminino e masculino ao mesmo tempo, mas também podem não se identificar com nenhum desses dois rótulos. Elas podem, ainda, se sentir às vezes como homens e outras vezes como mulheres.

 

Mais complexidade

 

Diante de tanta diversidade, não há regras universais. O princípio, porém, é básico: respeito. Os termos discutidos aqui podem não cobrir todas as situações, afinal essa é uma área complexa que pode ser difícil para aqueles que não são totalmente tratados em meio a uma vasta gama de termos. 

Agora, se você lida com pessoas na sua profissão, por que não se aprofundar nos assuntos relacionados à diversidade? 

O mercado de trabalho vem apresentando uma demanda crescente de profissionais especializados na sexualidade humana e a formação exigida vai muito além dos conceitos fundamentais e temas específicos, indo até uma reflexão dos conteúdos teóricos, alinhados à prática. 

A Especialização em Sexualidade Humana é uma iniciativa pioneira da Faculdade Santa Casa BH, sendo, hoje, o único curso com esse foco ofertado em Minas Gerais. No programa, serão trabalhadas as diversas modalidades de atuação da sexualidade, sob os diferentes pontos de vista: do médico, do psicólogo, do fisioterapeuta, do farmacêutico, do advogado, do pedagogo, do biólogo, dentre outras profissões. Conheça todos os detalhes da especialização clicando neste link!

Skip to content