Inovação no ensino médico

No ano em que completa 120 anos de excelência no atendimento e tradição no ensino médico de Minas Gerais, a Santa Casa BH viveu, em 27/3, mais um momento histórico no programa de residência e especialização médica: a entrega dos passaportes das ativi¬dades profissionais que definem o trajeto de formação do cirurgião geral da instituição. Em breve, os residentes e especializandos das demais especialidades também receberão seus passaportes.
Em sintonia com a literatura internacional, o EPA (Entrustable Professional Activities/ Ativi¬dades Profissionais Confiáveis) é uma ferramenta que registra a evolução dos residentes e atesta a formação de excelência dos profissionais. A cartilha contém quatro atividades profissionais confiáveis por trimestre. Desta forma, ao longo de um ano, se o residente estiver desempenhando bem todas as funções terá o registro de 16 atividades realizadas – avalizadas pelo preceptor.
Segundo a diretora Acadêmica de Ensino e Pesquisa, Dra. Rosa Malena Delbone, essa inovação é um marco. “Esse é um trabalho conjunto da Santa Casa BH Ensino e Pesquisa com todas as equipes de cirurgia que participam da formação do médico residente. Para isso, revisamos e reestruturamos o programa de residência”, explica.
“É um avanço absoluto em relação às outras residências oferecidas em Minas, pois os próprios resi¬dentes têm controle do aprendizado. A segurança do paciente é privilegiada e todos os preceptores participam do programa de residência. A certeza de uma boa formação é segura e garantida”, destaca o Dr. Diógenes Coelho, coordenador do Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral e coorde¬nador da equipe cirúrgica.
A importância da inovação também foi destacada pelo coordenador da equipe cirúrgica, Dr. Rodrigo Nankran. “A excelência na formação em cirurgia geral é uma tradição na Santa Casa BH. Agora, temos uma nova maneira de registrar isso e tornar mais transparente para as outras pessoas que aquele profis-sional saiu daqui bem formado”, afirma.

Skip to content